Mais um a meu favor #231: Caetano Veloso, buquê da noiva e compras de supermercado
RPNV 2016 #10: quem foi ou não eleito?
AMQCM #54: Hardwired… To Self Destruct (2016), por Metallica | Álbuns
NNL Indica #3: dicas para acompanhar tudo sobre Chespirito e Dragon Ball Super no Brasil
Eventos massa™ #2: Brasil Game Show 2016 | NNL em eventos
O pior porre da minha vida | Casos Pessoais
Janela de dicas #25: como remover o Warsaw completamente do seu Windows | Macetes
Nos Fragmentos do HD #15: os 10 anos do AE KASINÃO
Avulsos #4: Tanglewood para Sega Genesis / Mega Drive | NNL Games
Crunchyroll: saiba como ter acesso Premium+ por 48 horas

Eventos massa™ #1: Brasil Game Show 2015 | NNL em eventos

#581

Ontem (12/10/2015), foi um dia histórico para mim: finalmente pude participar do maior evento gamer do Brasil e da América Latina, segundo os organizadores, o Brasil Game Show 2015. Abaixo, algumas impressões e experiências sobre e, no fim do post, todos os registros feitos via Instagram.

O evento em si

A localização do evento é bem conhecida: o Expo Center Norte – inclusive será a última edição do evento neste local. O local fica razoavelmente perto do Terminal Rodoviário do Tietê / Estação Portuguesa-Tietê (Linha 1 Azul), resultando em uma caminhada de aproximadamente 20 minutos. Faixas da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) indicavam a direção, caso alguém estivesse perdido. Além disso, a organização do evento disponibilizou transporte gratuito partindo do terminal.

A título de curiosidade: ocorria no mesmo Expo Center Norte o Expo Noiva & Festas, em pavilhões diferentes de onde acontecia o Brasil Game Show. O tempo de duração de ambos foi praticamente o mesmo.

Após a pequena andança, chega-se a entrada da BGS. Entregue o 1 kg de alimento não-perecível (garantia da minha meia-entrada), adentro ao evento e me deparo com um verdadeiro mundo gigantesco. Logo de cara, um campeonato com o novo jogo de dança da Ubisoft – Just Dance 2016 e todos aqueles movimentos que me deixam tonto de tão coordenados. Andando um pouco mais, encontrei stands da Nvidia, e do novo Rock Band 4. Para os aficionados por Minecraft, a Microsoft montou um enorme para crianças.

Para os old gamers: uma área com diversas máquinas de arcade estava disponível. Jogos como The King Of Fighters, alguns da Sega e até mesmo Guitar Hero III. Inclusive uma das máquinas estava com problemas no monitor – algo que não deve ter incomodado muito os jogadores. Um pouco mais a frente, parte do acervo do organizador da BGS, Marcelo Tavares. Diversos consoles das 5 primeiras gerações dos videogames estavam disponíveis para serem vistos. Relíquias como famiclones – clones do Famicom / NES -, Odissey, Atari Jaguar (e seu controle nada confortável), além dos clássicos Game Boy, Master System, Genesis (Mega Drive), entre outros, completavam a mostra.

Os desenvolvedores e jogos independentes brasileiros não poderiam ficar de fora. Em uma área exclusiva, pode-se conferir jogos como Aritana e a Pena da Harpia (Duaik), Super Button Soccer e Infância Livre e Trabalho Livre (Ministério do Trabalho e Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas (Facisa) – Campina Grande – Paraíba). Isso valoriza o bom trabalho feito no Brasil.

As principais plataformas de videogame da atualidade não deixariam de marcar presença. PlayStation (Sony) e Xbox (Microsoft) montaram seus grandiosos stands na feira. No da fabricante japonesa, destaque para Yudi (sim, o do Bom Dia & Cia.) distribuindo consoles e para o novo Street Fighter V (exclusivo do PS4). Já no da empresa de Redmond, destaque para o Cuphead – jogo com gráficos que lembrar desenhos clássicos dos anos 1920 e 1930.

Ademais do evento: cosplays, PES 2016 x FIFA 2016, IGN, YouTube Gaming (plataforma concorrente do Twitch.tv), Brasil Game Cup – trazendo um torneio de Dota 2 – e diversas rádios, emissoras de TV, revistas e sites de tecnologia marcaram presença.

A parte que deixou a desejar foi, sem sombra de dúvidas, a praça de alimentação. Tirando o Bob’s e seus preços “justos”, era difícil encontrar algo com bom custo benefício. Por exemplo, um pastel (como os de feira) custava a bagatela de R$ 10.

Considerações finais: a Brasil Game Show é um evento realmente fantástico. Com um grande espaço útil, era muito difícil não encontrar algo para se distrair e se divertir. Quem entrou e conferiu, com certeza deve retornar para a próxima edição, a ser realizada no São Paulo Expo (1 a 5 de setembro).

Registros audiovisuais (via Instagram)


Just Dance 2016. #bgs2015

Um vídeo publicado por Lucas Pereira (@notnowlucasnnl) em

"Mitando" no Guitar Hero III. #bgs2015

Um vídeo publicado por Lucas Pereira (@notnowlucasnnl) em

A história dos videogames: Consoles. #bgs2015

Uma foto publicada por Lucas Pereira (@notnowlucasnnl) em

A história dos videogames: Jogos. #bgs2015

Uma foto publicada por Lucas Pereira (@notnowlucasnnl) em

JAGUAR. JAGUAR. JA-GUAR!!! #bgs2015

Uma foto publicada por Lucas Pereira (@notnowlucasnnl) em

"I'M BATMAN. #bgs2015

Uma foto publicada por Lucas Pereira (@notnowlucasnnl) em

É hora de… PLAYSTATION. #bgs2015

Um vídeo publicado por Lucas Pereira (@notnowlucasnnl) em

Brasil Game Show 2015: agora só em 2016. #bgs2015

Uma foto publicada por Lucas Pereira (@notnowlucasnnl) em



Por: Not Now Lucas

The following two tabs change content below.

notnowlucas

São Paulo - SP
Formado em Informática e antenado no universo da tecnologia, gosto de escrever sobre tudo que me convier. Possuo um Nokia Lumia 730 e não gosto que caçoem de mim.