Segurar a expectativa, poodle poliglota e batedor de metas | Mais um a meu favor #281
RPNV 2016 #10: quem foi ou não eleito?
AMQCM #54: Hardwired… To Self Destruct (2016), por Metallica | Álbuns
NNL Indica #3: dicas para acompanhar tudo sobre Chespirito e Dragon Ball Super no Brasil
Eventos massa™ #2: Brasil Game Show 2016 | NNL em eventos
O pior porre da minha vida | Casos Pessoais
Janela de dicas #25: como remover o Warsaw completamente do seu Windows | Macetes
Nos Fragmentos do HD #15: os 10 anos do AE KASINÃO
Avulsos #4: Tanglewood para Sega Genesis / Mega Drive | NNL Games
Crunchyroll: saiba como ter acesso Premium+ por 48 horas

Nos Fragmentos do HD #6: a “venda” da Copa do Mundo de 2014

#551
#1000100111 (binário)
#227 (hexadecimal)
#1047 (octal)
Imagem de destaque (vide visualização via página principal): Turismo Contemporâneo.

Fuleco

Dentre prós e contras, criticas e elogios – e o 7 x 1 -, tivemos Copa do Mundo de Futebol no Brasil em 2014. Porém, há gente com tendência para acreditar em teorias da conspiração, gente para criá-las e atualizá-las, em busca de enganar o maior número de pessoas. Confira abaixo a “carta bomba” que revela todo esquema para fazer o Brasil perder o hexa.

A Copa de 1998: o início da falácia

Em 1998, ocorreu a Copa do Mundo na França. A competição terminou com a final entre os anfitriões e a seleção brasileira. O estado de saúde de Ronaldo naquele 12/07 ainda é um mistério. Ele foi cortado do jogo e seria substituído por Edmundo, porém o Fenômeno pediu para jogar. O resultado: os franceses massacraram, com direito a atuação de gala de um tal Zidane.

A seleção canarinho em 1998

A seleção canarinho em 1998

O fato e a dor da derrota resultaram em rumores sobre o resultado do jogo. Dentre eles, um se destaca: o Brasil teria vendido o jogo para a França para poder conquistar o titulo em 2002 (realmente conquistado). A corrente se espalhou por email, de autoria de um suposto diretor da Rede Globo.

A decepção de Ronaldo com o resultado.

A decepção de Ronaldo com o resultado.

Abaixo, a íntegra de uma versão deste email:

“COPA 1998 – DIVULGADO O ESCÂNDALO QUE TODO MUNDO SUSPEITAVA !
Talvez, isso explique a razão do jogador Leonardo ter declarado a seguinte frase: ‘”Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo de 1.998, ficariam enojadas!”.
Todos os brasileiros ficaram chocados e tristes por terem perdido a Copa do Mundo de futebol, na França. Não deveriam.
O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of Americas e o Gazzeta delo Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.

Fato comprovado:

O Brasil VENDEU a copa do mundo para a Fifa. Os jogadores titulares brasileiros foram avisados, às 13:00 do dia 12
de Julho (dia do jogo final), em uma reunião envolvendo o Sr. Ricardo Teixeira (na única vez que o presidente da CBF compareceu a uma preleção da seleção), o Técnico Mário Zagallo, o Sr. Américo Faria, supervisor da seleção, e o Sr. Ronald Rhovald, representante da patrocinadora Nike. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel.
A princípio muito contrariados, os jogadores se recusaram a trocar o penta-campeonato mundial por sediar a Copa do Mundo. A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$70.000,00 para cada jogador, mais um bônus de US$400.000,00 para todos os jogadores e integrantes da comissão, num total de US$ 23.000.000,00 vinte e três milhões de dólares) através da empresa Nike.
Além dis so, os jogadores que aceitarem o contrato com a empresa Nike nos próximos 4 anos terão as mesmas bases de prêmios que os jogadores de elite da empresa, como o próprio Ronaldo, Raul da Espanha, Batistuta da Argentina e Roberto Carlos, também do Brasil.

Mesmo assim, Ronaldo se recusou a jogar, o que obrigou o técnico Zagallo a escalar o jogador Edmundo, dizendo que Ronaldo estava com problemas no joelho esquerdo (em primeira notícia divulgada às 13:30 no centro de imprensa) e, logo depois, às 14:15, alterando o prognóstico para problemas estomacais).

*A sua situação só foi resolvida após o representante da Nike ameaçar retirar seu ** patrocínio vitalício ao jogador, avaliado em mais de US$90.000.000,00 (noventa ** milhões de dólares) ao longo da sua carreira.

Assim, combinou-se que o Brasil seria derrotado durante o ‘Golden Goal’ (prorrogação com morte súbita), porém a apatia que se abateu sobre os jogadores titulares fez com que a França, que absolutamente não participou desta negociação, marcasse, em duas falhas simples do time brasileiro, os primeiros gols.

O Sr. Joseph Blatter, novo presidente da Fifa, cidadão franco-suíço, aplaudiu a colaboração da equipe brasileira, uma vez que o campeonato mundial trouxe equilíbrio à França num momento das mais altas taxas de desemprego jamais registradas naquele país, que serão agravadas pela recente introdução do euro (moeda única européia) e o mercado
comum europeu (ECC).

Garantiu, também, ao Sr. Ricardo Teixeira, através de seu tio, João Havelange, que o Brasil teria seu caminho facilitado para o penta-campeonato de 2002.

**Passem esta mensagem para o maior número possível de pessoas, para que todos possam conhecer a sujeira que ronda o futebol!

Desde, já agradeço, Um abraço.
Gunther Schweitzer
Central Globo de Jornalismo

E tem Mais, nesse acordo ficou definido que em 98 a França seria campeã,(como foi) , em 2002 seria o Brasil (como foi), em 2006 a Italia, e em 2010 a Argentina e 2014 será a Alemanha, todos esses paises estavam envolvidos na negociação.
Agora é só aguardar para ver o resultado.

Porque será que o Maradona esta com toda essa euforia???”

Para dar veracidade a “denúncia”, a carta cita os conhecidos jornais Wall Street Journal of Americas e Gazzeta delo Sport, jogadores como Leonardo dizendo sobre ter nojo da situação, cartolas e a Nike. Supostas vantagens aos atletas e a CBF seriam concedidas para ficarem de bico fechado. Porém, nada disso foi realmente noticiado por estes veículos de comunicação nem por nenhum outro.

Copa de 2014: o suposto autor e a farsa levada adiante

A identidade do suposto diretor da Globo (ou da ESPN), foi revelada. Gunther Schweitzer realmente existe, porém não trabalha para nenhuma emissora. Ele é paulistano formado em Educação Física e Administração e dá aulas para o Projeto Vôlei para Brilhar, do Instituto Brilho Brasileiro.

Gunther trabalhava na Volkswagen Caminhões como analista de programação de veículos em 2002. Ao receber o email, ele realmente achou a argumentação plausível e repassou para frente. Porém a assinatura automática do Outlook fez seu nome aparecer no fim do texto. Alguém “bem intencionado” o promoveu a diretor da Globo.

Com a acachapante derrota na Copa do Mundo do Brasil em 2014 para a Alemanha – 7 x 1 – no dia 08/07, oportunistas de plantão usaram a criatividade para simplesmente alterar os personagens e a situação favorável à seleção brasileira, tal qual fizeram com o título de 2002, de 2006 (Itália), de 2010 (Espanha) e até mesmo o Mundial de Clubes conquistado pelo Corinthians (2012). Em todas as versões alternativas, Gunther virou “diretor da ESPN”.

Gol de Müller, o primeiro do massacre.

Gol de Müller, o primeiro do massacre.

Confira uma das versões repassadas abaixo:

“COPA 2014 – DIVULGADO O ESCÂNDALO QUE TODO MUNDO SUSPEITAVA !

Talvez, isso explique a razão do jogador Paulinho ter declarado a seguinte frase: ‘”Se as pessoas soubessem o que aconteceu na Copa do Mundo de 2014, ficariam enojadas!”.

Todos os brasileiros ficaram chocados e tristes por terem perdido a semifinal da Copa do Mundo de futebol, em casa! Não deveriam.

O que está exposto abaixo é a notícia em primeira mão que está sendo investigada por rádios e jornais de todo o Brasil e alguns estrangeiros, mais especificamente Wall Street Journal of America e o Gazzeta dello Sport e deve sair na mídia em breve, assim que as provas forem colhidas e confirmarem os fatos.

Fato comprovado:

O Brasil VENDEU a copa do mundo para a FIFA. Os jogadores titulares brasileiros foram avisados, às 13:00 do dia 08 de Julho (dia da semifinal), em uma reunião envolvendo o Sr. José Maria Marin (na única vez que o presidente da CBF compareceu a uma preleção da seleção), o Técnico Luiz Felipe Scolari, o Sr. Marco Polo Del Nero (Presidente Eleito da CBF), e o Sr. Ronald Rhovald, representante da patrocinadora Nike. Os jogadores reservas permaneceram em isolamento, em seus quartos ou no lobby do hotel.

A princípio muito contrariados, os jogadores se recusaram a trocar a vaga na final pelo titulo Olímpico em 2016 (único torneio que o Brasil ainda não venceu) e a promessa de uma nova Copa até 2030 no Brasil. A aceitação veio através do pagamento total dos prêmios, US$700.000,00 para cada jogador, mais um bônus de US$400.000,00 para todos os jogadores e integrantes da comissão, através da empresa Nike.

Além disso, os jogadores que aceitarem o contrato com a empresa Nike nos próximos 4 anos terão as mesmas bases de prêmios que os jogadores de elite da empresa, como Ibrahimovic, Wayne Rooney, Andrés Iniesta e Frank Ribery.
Mesmo assim, David Luiz se recusou a jogar, mas mudou de opinião em seguida, depois de uma longa reunião com Carlos Alberto Parreira e Flávio Murtosa, aonde receberam uma ligação de um representante da Nike que ameaçou retirar seu patrocínio recém-renovado e um dos maiores da empresa.

Assim, combinou-se que o Brasil seria derrotado durante a prorrogação, porém a apatia que se abateu sobre os jogadores titulares fez com que a Alemanha, que absolutamente não participou desta negociação, marcasse, em duas falhas simples do time brasileiro, os primeiros gols.

O Sr. Joseph Blatter, presidente da FIFA, cidadão franco-suíço, aplaudiu a colaboração da equipe brasileira, uma vez que o campeonato mundial não é vencido pela Alemanha desde 1990 e o mesmo é tratado como o complemento ideal para confirmar a soberania do país na Europa como potência econômica e esportiva, além de ser a única federação que fazia oposição a presidência do Sr Blatter.

Garantiu, também, ao Sr. José Maria Marin, através de seu sucessor, Marco Polo Del Nero e do Secretário Geral da FIFA, Sr Jeromé Valcke, que o Brasil teria seu caminho facilitado para o hexa-campeonato de 2018.

Gunther Schweitzer
Diretor de Jornalismo dos Canais ESPN”

Na versão acima, a mesma situação. A seleção aceitou de forma passiva a derrota em troca do título da Copa da Rússia em 2018, jogadores abatidos pelo acordo e a derrota que deveria acontecer na prorrogação. Mas nenhum indício ou notícia relacionada foi veiculado em lugar nenhum.

Comentários finais

Na era das redes sociais, o fluxo de informação é quase instantâneo e isso é benéfico. No entanto, a imperícia de saber diferenciar o verdadeiro do falso, faz muitos serem facilmente enganados e manipulados. Embora os recentes acontecimentos mostrem o desmantelo de um esquema corrupto no futebol como um todo, pessoas mal intencionadas se aproveitam destas presas fáceis para conseguir alguns cliques a mais e receberem massagens do ego às custas alheias.

E aí? É adepto de teorias da conspiração? Gosta de repassar este tipo de corrente? Conte nos comentários se já acreditou ou não neste tipo de falácia. E não se esqueça de conferir os outros posts da sua coluna de desfragmentação do seus sábados e aguardar os próximos posts. Te espero por aqui.

Por: Not Now Lucas

The following two tabs change content below.

notnowlucas

São Paulo - SP
Formado em Informática e antenado no universo da tecnologia, gosto de escrever sobre tudo que me convier. Possuo um Nokia Lumia 730 e não gosto que caçoem de mim.