Barcelona 2 x 2 Chelsea: o feitiço virou contra o feiticeiro | Me dê ibagens


#248

Será que chegou o dia em que o reinado do Barcelona desmoronar? Não se sabe ainda, mas ao certo foi uma semana para se esquecer: duas derrotas seguidas, e a chance de brigar por dois títulos indo para o ralo. O Chelsea colaborou muito para isso, claro.

O jogo

Desde o inicio, era visível que teríamos um jogo de ataque contra defesa, até do jeito que o Barcelona gosta, mas o Chelsea incorporou o espírito que a Inter de Milão teve na Temporada 2009/2010 da UEFA Champions League, quando a mesma eliminou os catalães na semifinal e conquistou a edição daquele ano. Criando mais chances, é verdade, mas com uma certa pressão sobre os ombros, pelos últimos resultados.

Jogo disputado, com zagueiros das duas equipes contundidos: Cahill deu lugar ao lateral-direito Bosingwa, recuando Ivanovic para a zaga; e Piqué, logo após choque com Victor Valdéz, dando lugar a Daniel Alves, estranhamente no banco de reservas. Um esquema também “estranho” dos culés, jogando sem lateral-esquerdo.

Depois de muita insistência, o gol do Barcelona saiu de um passe de Daniel Alves, após rebote de escanteio, para Cuenca. Este deu para trás para Busquets fazer o primeiro do jogo. Aos 34 do primeiro tempo.

Com a expulsão tola de Terry (dando uma joelhada em Sanchez) minutos depois e o gol de Iniesta aos 43, após jogada rápida, com passe do apagado Messi, parecia que tudo tinha virado a favor do Barça. Mas, aos 45, Ramires aproveita tabela com Lampard e faz um golaço, com um belíssimo toque por cobertura. Os dois jogadores juntam-se a Terry e não disputarão a final.

Começa o segundo, tempo com um Barcelona determinado a qualquer custo fazer o tão esperado gol da classificação. Drogba derrubou Fàbregas dentro da área, aos 2 da etapa final. Messi vai para a bola, mas o peso da semana conturbada, de uma atuação irreconhecível, da pressão por não ter feito gol contra o Chelsea e Cech no gol foi mais forte, e ele meteu no travessão.

À partir daí, foi um ataque contra defesa autêntico: Barcelona cruzando, errando, não chutando a gol de longe, ainda que criando chances, e o heroico Chelsea se segurou, bem como fez contra Benfica, nas quartas de final. E tal como foi no naquela classificação, os Blues mataram o jogo no fim de segundo tempo, com Fernando Torres fazendo um gol fácil, onde quase todo o Barça estava desesperado à procura do gol. O atacante, que entrou no lugar de Drogba, driblou Valdéz e fechou o caixão.

Aqui os gols do jogo

Link: http://globoesporte.globo.com/futebol/liga-dos-campeoes/noticia/2012/04/messi-para-na-trave-ramires-faz-golaco-e-chelsea-elimina-o-barca.html

Conclusão

O mundo cai sobre o até então melhor time do mundo. Uma queda doída, inesperada e inexplicável. Mas temos que dizer que jogou contra Chelsea (duas vezes) e Real Madrid, assim não vencendo estes jogos. Especulações sobre a saída de Guardiola e o questionamento do futebol de Messi, Xavi, Iniesta e companhia virão, justo ou (muitas vezes) não.

Agora é esperar qual será o adversário do Chelsea, na final no dia 19/05/2012, na Alemanha, em Munique. Real Madrid e Bayern (donos da Alianz Arena, local da decisão) querem disputar a decisão em casa e tem a vantagem do empate, já que no primeiro jogo, venceram por 2 x 1. Resta esperar.

The following two tabs change content below.

notnowlucas

São Paulo - SP
Formado em Informática e antenado no universo da tecnologia, gosto de escrever sobre tudo que me convier. Possuo um Nokia Lumia 730 e não gosto que caçoem de mim.