2012, novo ano velho e as mesmas promessas


Começa o ano de 2012. O Réveillon (do francês, significa “despertar”) foi muito bom na Avenida Paulista, em Copacabana ou em qualquer lugar do Brasil ou do mundo. A pirotecnia dos fogos de artifício (não das ensurdecedoras bombinhas e fogos barulhentos) traz mais esperança, mais amor, mais um novo ano velho (2012), ou um velho ano novo. Isso depende da sua concepção.

Os desejos mais sinceros de “tudo de bom”, ou apenas superficiais, animam a festa do dia 31/12 para o dia 01/01, este último, Dia Mundial da Paz. As promessas mais complicadas de se acontecer neste ano são feitas (como um sonho que é muito difícil de ser realizar em pouco tempo), assim como as mesmas promessas que são feitas todo ano só por fazer, sem nenhum fundamento, sem nenhuma concepção de suas realizações. São estas que tornam 2012 e outros anos como o “novo ano velho”, pois nada ou quase nada muda (pelo menos no âmbito da promessas). Por estas e outras que não costumo fazer promessas como “vou emagrecer”, “ou parar de fumar”, “vou parar de beber”, etc. Quero ter certeza de que vou cumprir tais promessas.

“Velho ano novo” é aquela pessoa que vive a vida do jeito que ela tem certeza que está no caminho certo, da felicidade. E que não faz promessas falsas, promete aquilo que está ao seu alcance. Pode ser que eu não me encaixe neste “tipo de ano”, pelo menos por hora.

Sobre o fim do mundo: não creio que vá acontecer o Apocalipse marcado para 21/12/2012, talvez uma Nova Era, mas não uma destruição da Terra como conhecemos. Mesmo se acontecer, espero um 2012 melhor que qualquer ano que tivemos, o que não quer dizer que os outros anos foram necessariamente ruins.

BTW: Feliz ano novo, cambada. 😉

The following two tabs change content below.

notnowlucas

São Paulo - SP
Formado em Informática e antenado no universo da tecnologia, gosto de escrever sobre tudo que me convier. Possuo um Nokia Lumia 730 e não gosto que caçoem de mim.