Bilhetes Trocados, Chaves Especial e SBT


Vocês devem ter lido o post anterior (Post #119: http://notnowlucasnnl.com.br/2011/12/25/chaves-especial-de-natal-mais-uma-homenagem-do-sbt/), onde falei sobre o segundo especial Chaves feito pelo SBT. E ainda falarei do terceiro em outro post. Pois bem, resolvi falar do primeiro também, exibido no dia 19/08/2011 (dia do aniversário de 30 anos do SBT).

O elenco é praticamente o mesmo, com Alexandre Porpetone (Chaves), Felipe Levoto (Seu Madruga), Lívia Andrade (Dona Florinda), Marlei Cevada (Chiquinha), Ratinho (Seu Barriga), Zé Américo (Kiko), Carlos Alberto (Prof. Girafales) e Christina Rocha (Dona Clotilde) – Carlos Alberto fez o Mestre Linguiça neste especial para fazer uma piada com o tamanho do ator original e do apresentador d’A Praça É Nossa.

O especial

O episódio inspirador foi Os Bilhetes Trocados (1977) – logo abaixo -, onde Professor Girafales quer se declarar para Dona Florinda, mas não tem a coragem à altura (desculpe por usar esta piada de novo). Temos, então, o praxe do tema muito abordado por Chespirito: o mal entendido. A versão com os atores do SBT traz dois personagens que não participam do original: Dona Clotilde e Senhor Barriga. Por isso, o especial tem algumas falas e cenas a mais para encher linguiça (sem referência aos presentes) e fazer com que Christina Rocha e Ratinho participassem também.

Os Bilhetes Trocados (1977)

O que me chamou atenção neste especial é que ele foi filmado em HD, mas manteve o ar de antigo das imagens, típicos da época da filmagem (coisa que, aparentemente, senti falta no segundo especial). Também cito de novo o cenário, bem fiel ao original, e o figurino. O SBT caprichou demais nestes pontos, pelo menos.

O especial em si começa diferente do episódio original, com Seu Madruga pintando um banco. Entra Chiquinha pedindo dinheiro para comprar um balão de gás e, depois entra Seu Barriga, levando como garantia o banco pintado, caso o devedor de eternos 14 meses de aluguel (mas já foram 15) não pagasse um centavo. A partir daqui, o episódio em si começa de vez, com pequenas mudanças para a participação de Dona Clotilde. No fim, acabou quase do mesmo jeito que o original.

As tiradas, já comentadas no outro post, são de coisas recentes (Transamazônica, Café no Bule, etc.) e próprias ou não da “TV mais feliz do Brasil”. Muito engraçadas, embora, para quem não goste d’A Praça É Nossa atual, lembre o humorístico criado por Manuel de Nóbrega, pai de Carlos Alberto. Une-se isto ao humor longe da apelação típica dos programas cômicos (mulheres de biquíni, por exemplo) da “série mais famosa do Brasil”.

Como já comentei praticamente tudo que este tipo de gravação tem, farei um dizer: se você quer ver uma boa homenagem a este clássico da TV da América Latina, seja bem-vindo a vê-lo. Se você acha que este é de qualidade duvidosa, pare de ver o vídeo logo no começo. Isso vai do gosto do freguês.

Veja com seus próprios olhos esbugalhados:

Obs.: perceberam que o banco que estava sendo pintado tem só três pés? Seria referência ao tripé Chaves-Kiko-Seu Madruga da série? Ou foram só os energéticos?

The following two tabs change content below.

notnowlucas

São Paulo - SP
Formado em Informática e antenado no universo da tecnologia, gosto de escrever sobre tudo que me convier. Possuo um Nokia Lumia 730 e não gosto que caçoem de mim.