Barcelona 4 x 0 Santos: esperava um jogo mais emocionante


Ocorreu neste domingo (18/12/2011) a grande final do Mundial de Clubes FIFA 2011: Barcelona, campeão da UEFA Champions League 10/11; e Santos, campeão da Copa Santander Libertadores 2011. O confronto Messi x Neymar era declarado, era esperado pelo mundo. Muitos chamam esta final como a “vitória do futebol”. Eu torcia por uma vitória do Barça, por uma goleada do melhor time do mundo da atualidade, mas sinceramente esperava um jogo mais difícil.

Os gols do massacre

No primeiro tempo, o Barcelona definiu a partida, com três gols, enquanto o Santos simplesmente assistia a uma aula de futebol. Com uma facilidade até surpreendente, a equipe catalã não tomou conhecimento dos Meninos da Vila.

Após a irritante e belíssima troca de passes, o Barcelona fez o primeiro aos 16 minutos de jogo. Xavi enfiou bola para Messi, após falha de Durval. O melhor do mundo não teve dúvidas e meteu por cima de Rafael e Bruno Rodrigo, com a perna canhota. Este que tentou tirar a bola do gol, sem sucesso.

Belo toque de Daniel Alves (que jogou como um ponta direita) tocou para Xavi que, aos 23 minutos, com a perna destra, chutou sem chances para Rafael. Era o segundo do Barça.

O Santos ainda tinha algumas esperanças de virar a situação, mas continuava assistindo o mais um show do Barcelona, show que dificilmente não acontece, ultimamente. Quando todos pensavam no intervalo, uma falha incrível da zaga da santista aconteceu aos 44 minutos. Messi tocou de calcanhar para Daniel Alves, que cruzou para defesa de Rafael, mas a bola sobrou para Messi ou Thiago Alcántara, o segundo cabeceou de peixinho para mais uma sensacional defesa de Rafael. A bola sobra para Cesc Fàbregas que, meio sem acreditar, tocou a bola com a perna destra para o fundo do gol. Era o terceiro e e o fechamento de caixão.

O segundo tempo veio com um Barcelona tirando um pouco o pé do acelerador e um Santos, mesmo sem ameaçar muito, criar três grandes chances, com Neymar de cabeça para fora, em um cruzamento de Borges, após passe de Ganso; com Borges – sem ângulo para chutar para o gol, muito com Víctor Valdés saindo para fechá-lo -, após passe de Elano; e com Neymar de novo, em novo passe de Elano – o camisa 11 perdeu um gol que dificilmente perde -, chutando em cima de Valdés, que saiu de novo bem da meta.

A pá de cal foi em um contra-ataque catalão. Daniel Alves recebeu no mano-a-mano e passou para Messi. O 10 do Barça mostrou porque será o melhor do mundo pela terceira vez seguida, pois driblou com uma facilidade incrível Rafael em um curto espaço e tocou para o gol vazio, com a perna canhota, aos 36 minutos da etapa. Foi só esperar o fim do vareio de bola.

Considerações finais

Mais uma vez a posse de bola do Barcelona (a tal que não vale nada sem a vitória) fez a diferença. Toques objetivos, sem afobação. Coisa aprendida desde as categorias de base, coisa rara dentro do futebol. E aqueles que não são feitos na base do melhor time do mundo, se encaixam rapidamente no estilo de jogo.

O Santos, para minha decepção, não fez tudo que pôde. Poderia engrossar mais o jogo, fazê-lo mais emocionante e disputado. Mas o fato de perder para o Barça e ter chegado ao Japão, já é uma vitória. Parece clichê e discurso de perdedor, mas é a verdade. O Barcelona teve que perder para chegar onde chegou nos dias atuais, aprendendo com os erros. Os Meninos da Vila tem que tomar como exemplo a forma de aprender com os erros, para que num futuro confronto – quem sabe com este melhor time do mundo – o time tenha a capacidade de ganhar o mundo no Japão, nos Emirados Árabes, ou até mesmo aqui no Brasil.

Estatísticas do jogo: http://www.goal.com/br/match/71757/santos-vs-barcelona/lineup-stats

The following two tabs change content below.

notnowlucas

São Paulo - SP
Formado em Informática e antenado no universo da tecnologia, gosto de escrever sobre tudo que me convier. Possuo um Nokia Lumia 730 e não gosto que caçoem de mim.