Morte, Bin Laden e EUA

Segunda, 12 de maio de 2011, fui surpreendido com uma notícia: Obama anuncia que o “inimigo nº 1 dos EUA” havia sido assassinado por forças militares americanas, em parceria com o governo do Paquistão.

É incrível o nojo que sinto cada vez mais de um país chamado Estados Unidos da América. Mas a pior parte é que isso não é nenhuma novidade, para um país que foi capaz de jogar bombas atômicas contra o Japão, ou matar 3000 em um falso atentado terrorista, uma pessoa não seria nada demais.

As contradições desta morte são, por exemplo, do suposto corpo jogado ao mar. Ou da própria morte em si. Por que os EUA não mostram alguma foto comprovando a morte?

Há teorias de que Osama Bin Laden esteja morto há muito tempo: http://www.inacreditavel.com.br/novo/mostrar_artigo.asp?id=517. Outras, de que ele ainda está vivo.

Veja este artigo também: http://www.inacreditavel.com.br/novo/mostrar_artigo.asp?id=479.

Não duvidaria de ser mais uma armação dos EUA, mais uma jogada político-eleitoreira, de interesses econômicos. O país que chegou ao topo do mundo sem se importar com o resto do mundo, principalmente daqueles países que não se submetem ao seu poder imperialista (talvez o motivo da “guerra contra o terrorismo” seja este).

Eis o “terrorista mais perigoso do mundo”, que atende por EUA.

The following two tabs change content below.

notnowlucas

São Paulo - SP
Formado em Informática e antenado no universo da tecnologia, gosto de escrever sobre tudo que me convier. Possuo um Nokia Lumia 730 e não gosto que caçoem de mim.