Eleição 5 vezes menos democrática

Este post falará um pouco sobre as eleições para a diretoria de uma escola técnica estadual, que está sob subordinação do Centro Paula Souza.

As eleições para a diretoria de uma escola técnica do estado de São Paulo é feita de quatro em quatro anos, se não me engano. Mas de forma injusta: o voto dos alunos vale 5 vezes menos que o dos professores (coloco os alunos em primeiro porque nós também temos voz).

Em uma eleição feita em 2008 na escola em que atualmente estudo, uma professora, que era quase unânime entre os alunos, o até então diretor, onde já haviam queixas de uma péssima administração, entre outros, eram os candidatos.

Mesmo com a desvantagem de valor entre os votos, os alunos conseguiram eleger a professora, por muito pouco. Mas era o Centro Paula Souza que decidiria a eleição (sim, é isso mesmo). Os três mais votados, entre eles os dois candidatos já citados, foram para o “Segundo Turno”. Uma escolha foi feita: o até então diretor foi reeleito. Além do absurdo na votação “democrática”, escolheram um diretor que poucos gostavam. Sem contar que os alunos poderiam reivindicar que a professora fosse a nova diretora.

O mais engraçado é que, nas eleições para os cargos do executivo e do legislativo, o voto do pobre vale tanto quanto o do rico (no caso o voto do professor vale tanto quanto o do aluno). E mais: o Centro deveria apenas protocolar a decisão majoritária, não contrariá-la. A não ser que este eleito tivesse “ficha suja”.

Assim, a Democracia deveria ser exercida de forma plena, tanto nas eleições para a diretoria de escolas quanto para elegermos nossos representantes.

P.S.: 2012 terão novas eleições. E, desta vez, torço para a professora ser eleita.

The following two tabs change content below.

notnowlucas

São Paulo - SP
Formado em Informática e antenado no universo da tecnologia, gosto de escrever sobre tudo que me convier. Possuo um Nokia Lumia 730 e não gosto que caçoem de mim.